top of page

três pães e um apê

acho um barato a estratégia de marketing das incorporadoras imobiliárias

paulistas de distribuir panfleto na porta das padarias.

que é a mesma estratégia das marcas de guloseimas: colocar chicletes e

chocolates no caixa para estimular a compra por impulso, aquela de última hora.


fico pensando quantas pessoas já saíram de casa para pegar meia dúzia de pãezinhos e

voltaram com um duplex de entrega prevista para maio/2023.


vai pagar com dinheiro, cartão ou financiamento?


outro dia um desses me abordou no meio da rua, literalmente, e longe de uma padaria -

a mais próxima estava a uns seis ou sete quarteirões. achei inovação com toque de desespero.

cogitei ajudar e levar uma unidade, mas estava sem carteira.


a tática é antiga e se espalha pelas padarias da cidade, então algum sucesso deve ter essa ideia

de oferecer coisas inesperadas em locais improváveis.

é como os chaveiros, que também são xerox, que também fazem carimbo, que por vezes

vendem galões de água e que, já vi, ainda agregam um açougue. abrangente. um apanhadão

porque alguma coisa há de vingar, alguma pedida vai convencer.


ou a revistinha da avon, que você abre para ver um esmalte e termina com uma coleção completa

de oito potes plásticos coloridos e uma engenhoca para fechar embalagens específicas, como salgadinho.

e você não come salgadinho.


ou a vez em que, isolada numa praia sem comunicação, entrei num hostel para usar o wifi e

sai com um colar até hoje sem uso e um incenso que vende também aqui na esquina de casa.


ou quando minha prima foi ver flores para casa e quase levou uma estufa para cultivar maconha.

ela não tinha interesse algum em cultivar maconha.


ou quando saí só para andar com meu cachorro às seis da tarde, sem carteira e celular - afinal,

era apenas o xixi dele, e acabamos voltando para casa às quatro da manhã, eu bêbada e ele exausto.


ou quando eu estava em londres, saí para um museu e voltei para casa com um

novo trabalho no brasil, que esperaria o meu retorno, dali a três meses.


nunca se sabe o que pode acontecer no caminho... quantas vezes já saímos para comprar pão e

voltamos com um apê recém-lançado que você nem estava procurando?


e aí discordo de mim mesma e percebo que o marketing imobiliário de são paulo tem

sua razão de ser, sim. é uma estratégia que se vale das pessoas que estão abertas às oportunidades.

é no inesperado que vivem as grandes surpresas e aquela história toda. estar aberta às novidades

que a vida coloca no caminho.


lembrei daquele cara muito conhecido nos anos 80 que saía para comprar cigarro e não voltava mais.

vai ver ele só era uma vítima do panfleto… enquanto abria o maço na saída da padaria, foi abordado

por uma oportunidade única com três quartos e área de lazer completa. e ainda tem sauna?

vem comigo, no caminho explico, cantarolava o vendedor. vem comigo, vai ser divertido, completava o cazuza.





photo by césar guel on unsplash

Comentarii


bottom of page